domingo, 4 de abril de 2010

Poema - Considerações sobre o Amor II

Já dizia o poeta:
[Este inferno de amar, como eu amo]
Como se pode amar
Aquilo que da tua vida faz inferno?

Se amor é gelo e fogo
E o inferno quente
Seria o gelo do corpo
E o fogo na mente?

Se tem o amor, o poder de infernizar
E ainda assim, nós o amamos
Faz-se então por fora nos congelar
Enquanto por dentro queimamos?

Ass: Marcel Villalobo

Nota: Ver poema de Almeida Garrett: "Este inferno de amar"

Um comentário:

Arte, cultura e sociedade disse...

UhuuuuuuuuL

mando muito heim !!!