domingo, 14 de dezembro de 2008

Poema 26 - A Razão

Luz que me guiará eternamente
Passou em teus olhos
Veio de montes distantes
Passou feito um tufão
Levou meus pensamentos para longe

Tu és uma doce sutileza
Um encanto sereno
Uma flor com pétalas
Com puro néctar e cor

Por mil desilusões, não sonharia em te encontrar
Um brinquedo radioativo, uma fusão
Um elemento instável, a procura da luz
Por mil raios, faria isso por você

Não, não tente me entender jamais
Não tente entender a vida
Viva-a do jeito que ela lhe for posta
Aproveite-a enquanto é tempo
O tempo é sábio, é a razão
É aquilo que guiará a todos nós...

Ass: Marcel Villalobo

Um comentário:

Solaris disse...

comenta no meu blog, nabs!

ah sim, tá muito bom esse poema!